Nem só de comida vive o Homem.
1

Nem só de comida vive o Homem.

Sonho

Tenho, a par da cozinha, mais algumas paixões. Sou uma pessoa com um dom para a experimentação e teste. E nem sempre corre bem. Mas o importante a reter é que, pelo menos, não tenho medo de me atirar de cabeça para algo que não conheço. O resultado é que pode variar. E tal como um bom prato, as coisas que são boas são mesmo para repetir.

Diria que o que me atraiu para isto da cozinha foi a vontade de fazer algo diferente. Lembro-me de como no dia em que jantei em casa de um dos meus melhores amigos, ter ficado siderado com o prato que me apresentou. Era uma receita do Jamie Oliver. Um atum braseado com “crème fraîche” acompanhado de uma salada de tomate cherry, azeitonas pretas e pontas de espargo grelhadas. Aquilo mexeu comigo como nenhum prato tinha mexido até hoje. Foi pela surpresa. Pela novidade. Pelos sabores conhecidos conjugados de uma nova maneira. Foi aí que tudo começou e que a minha vontade de cozinhar ganhou asas e muito, mas muito amor. Pois. Como é normal eu dizer, sou um rapaz com muitas paixões e poucos amores.

Adoro experimentar mil coisas diferentes. Sejam desportos, técnicas ou simplesmente maneiras de olhar para as coisas que já conheço. Talvez seja um defeito profissional de tantos anos de publicidade. Mas a verdade é que muita coisa vai e vem. E poucas são as que ficam. A Fotografia e a Música. São dois exemplos de coisas que se agarram à minha pele e por cá tendem a ficar. Adoro fotografar. Adoro tocar baixo. E acredito que são coisas que me tornam melhor na cozinha. Sim. Está tudo ligado. Tudo.

Porque nem só de comida vive o Homem. Necessitamos sempre de coisas inspiradoras para alimentar também a alma. E se o corpo é facilmente saciado com uma boa refeição, também a alma deve ter a sua quota parte de divertimento. Por isso tenho tendência em misturar estas coisas. Boa música para um bom prato. Boas fotos que passem a essência de uma receita. Tudo para elevar o estatuto da comida a algo superior. E sei que alguns Chefs partilham esta ideia. De que se deve fazer coisas além da cozinha. Para abrir os horizontes e aumentar o nosso conhecimento. Só assim a cozinha sairá mais completa. Porque ao não estarmos focados apenas numa só coisa, vamos ser obrigados a pensar lateralmente. E a distância muitas vezes faz maravilhas na resolução de um problema.

Este é um Blog de um foodie. Pretende-se que o tema seja sempre a culinária. E vai ser. Mas existem tantas coisas ligadas à mesma que não resisto à tentação de dar um pulo para outros assuntos. Não quero falar apenas de receitas nem de ingredientes. Quero falar de emoções e ideias. Como a de escolher um disco para cada prato. Eu acho isto importante. Comer é unir os sentidos. Provar é experimentar com todo o nosso corpo alerta para essa mesma experiência. E existem discos que nos ajudam a conversar. Eu uso tudo o que a Billie Holiday canta. Acho que é a artista mais tocada em jantares cá em casa. Porque me relaxa e me prepara para longas horas de boas iguarias e de conversa. Enquanto estou a cozinhar, gosto de coisas como os Grizzly Bear ou os The XX.

Por isso deixo aqui a dica. Música na cozinha é talvez das coisas mais motivadoras. Isso e uma garrafa de um bom vinho, para ganhar ânimo. Cozinhar não tem de ser complicado. Temos apenas de nos divertir. E quanto mais de nós levarmos para a cozinha, mais gratificante vai ser a experiência. Equipem-se a rigor. Vejam o mundo pelos olhos de quem faz outras coisas. E vão ver como tudo melhora.

Uma colherada em “Nem só de comida vive o Homem.

Responder a CNS Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *